Lady Java

fevereiro 6, 2011 2 comentários

Sim, você não leu errado, de fato Lady Java está entre nós. Estava dando uma olhada na net e encontrei esse vídeo meio nerd. Não encontrei legendado, mas quem entender um pouquinho de inglês vai achar engraçado.🙂 Segue o vídeo:

 

Abraços,
Rafael Pessoa

Categorias:Uncategorized

FBML: FaceBook Markup Language

Sim,

O facebook tem uma própria linguagem. Assim como o html não é uma linguagem de programação, mas sim de formatação, o fbml também é uma linguagem de formatação. Com o FBML você pode customizar uma página do Facebook. É bem interessante, quem quiser dar uma conferida mais a fundo, no profissionaisti tem um pequeno tutorial. Clique aqui para acessar

.

 

Abraços,
Rafael Pessoa

Categorias:Uncategorized

Java 4 Ever

Olá, amigos!

Não escondo de ninguém minha paixão por Java, fato. Gosto por ser uma linguagem multiplataforma, eficiente, rica e poderosa. Anderson, Fred e eu estamos fazendo em grupo um trabalho de Estrutura de Dados I em Java. Está ficando bem bonito e acredito que vai ser muito eficiente. Quando estiver pronto, se o Fred e o Anderson concordarem comigo, colocaremos o executável para download aqui no blog. Hoje o meu post não vai ter nada especial, apenas um vídeo que eu já havia visto na Semana da Computação (SECOMP) lá na UECE ano passado e que o Fred, por coincidência, me mandou esta semana por e-mail e gostaria de compartilhar com vocês. Espero que gostem.

Caso você não consiga visualizar o vídeo no blog, assista-o no Youtube.

Att,
Rafael Pessoa

Categorias:Java Tags:

Novos membros

Olá, amigos.

Estou um pouco sumido, peço desculpas, mas é muita coisa para fazer. Ainda estou em aula lá na UECE e minhas férias vão ser só em 15/02, é chato, mas é isso mesmo. Devido à falta de tempo (e também de conteúdo) pedi ajuda a 3 amigos para me ajudarem com o blog. Hoje vou apresentar à vocês nossos novos membros colaboradores do blog:

  • Anderson Couto
  • Fred Freitas
  • Rodrigo Bastos

São meus amigos de faculdade e eles são muito bons. Podem aguardar por excelentes posts.🙂 Obrigado.

Att,
Rafael Pessoa

Categorias:Geral

Criando um executável em Java com duplo clique

Olá, pessoas!

Eu, particularmente, sou grande fã de Java. Fiquei um tempo frustrado ao ver que Java não tinha um executável fácil. Existe a opção de criar um arquivo .jar (Java ARchive), e ainda assim, além de tudo, não funcionava com duplo clique. Tinha que executar o .jar pelo terminal ou prompt. Além disso, ainda tinha que configurar o manifesto e todo aquele blablablá. Felizmente, descobri uma maneira interessante de “criar” um executável para Java. O truque é bem simples, vamos criar o nosso arquivo em Java normal, compilamos e vai gerar o nosso arquivo .class. Ao invés de irmos ao terminal (ou DOS, depende do seu SO) e digitarmos o comando para executar o arquivo .class: java nomedoarquivo, nós simplesmente vamos encapsulá-lo em um arquivo .c ou .cpp e executá-lo neste arquivo usando a função system(); . Legal, né? Ótimo, vamos tentar colocar em prática:

Vamos criar um arquivo em Java que abre uma GUI (Graphics User Interface) desejando a você um “Feliz Ano Novo! Boas festas!”, é bem simples, mas vai demonstrar o que eu quero.

Segue o código do nosso arquivo gui.java:

import java.awt.BorderLayout;
import javax.swing.JFrame;
import javax.swing.JPanel;
import javax.swing.JLabel;

public class gui extends JFrame {
JPanel painel;
JLabel msg;
public gui() {
super("UECEANO");
}
public void criaJanela() {
painel = new JPanel();
msg = new JLabel("Feliz ano novo! Boas festas!");

painel.add(msg);

getContentPane().add(painel, BorderLayout.CENTER);
setDefaultCloseOperation(JFrame.EXIT_ON_CLOSE);

pack();
setVisible(true);
}

public static void main(String[] args) {
gui janela = new gui();
janela.criaJanela();
}
}

Pronto, até aqui temos o nosso arquivo em java. Para compilar e executar, abra o terminal e digite: javac gui.java && java gui (Certifique-se que você tem o JDK e a JVM instalado no seu computador. Você poderá encontrá-los para download no site oficial). Certo, agora vamos ao segundo passo, criar o nosso executável de duplo clique:

Crie um arquivo em C ou C++ (ou qualquer outra linguagem compilada que crie um executável). Eu vou escolher C. Chamarei o meu arquivo C de AnoNovo.c. O código dele é bastante simples:

int main() {
system("javac gui.java && java gui");
return 0;
}

Pronto, só isso. Simples, não? Mas calma, agora vamos gerar o nosso executável em C que irá executar o nosso arquivo Java. Para criar, abra o terminal e digite make AnoNovo (certifique-se que você tem um compilador C instalado. Caso não o tenha, poderá baixá-lo com um sudo apt-get install gcc). Com isso, teremos o nosso arquivo AnoNovo.exe. Pronto, basta dar 2 cliques, e ele irá executar o nosso arquivo Java.🙂

Antes, algumas observações:

  • Os arquivos precisam estar na mesma pasta.
  • Caso os arquivos estejam em uma pasta, e você crie um link, você precisará colocar o caminho da pasta na função system do AnoNovo.c ( Por exemplo: system(“cd MeusDocumentos && javac gui.java && java gui”);
  • Caso você esteja no Linux, você está dando 2 cliques e ele não está executando, faça os seguintes procedimentos:
  1. Clique no executável com o botão direito e em seguida, no menu, clique em Propriedades ;
  2. Abrirá uma janelinha com as guias “Básico”, “Emblemas”, “Permissões”, “Abrir com” e “Notas”. Clique na guia Permissões
  3. Marque a opção “Permitir execução do arquivo como um programa” e feche a Janela.

Sem mais, o seu executável agora já está funcionando corretamente. Desejo um feliz ano novo, boas festas, muita paz, saúde, amor e sucesso a todos!

Um grande abraço,

Categorias:Dicas, Java Tags:

Padrões de Projeto de Software

dezembro 29, 2010 3 comentários

Olá gente!

Você já ouviu falar de Padrões de Projeto? Ou o termo em inglês, Design Patterns? Bem, vamos formular umas perguntas e respostas:

1) O que é Padrões de Projeto?
2) Para que servem os Padrões de Projeto?
3) Como escolher o Padrão de Projeto do meu software?

Como diria Jack, o estripador, vamos por partes. Vou contar para vocês uma historinha que o meu orientando do laboratório que estou estudando, o Dr. Jerffeson Teixeira, contou em uma palestra sobre PP (Padrões de Projeto). Suponha que um alienígena veio estudar Engenharia de Software aqui na Terra. Mais especificamente, na UECE. O alienígena, vendo que todos iam para às aulas de roupa, perguntou a mim com que roupa ele deveria ir para as aulas (Aqui nós encontramos um problema: Como o alien deve ir para a aula). Eu, então, respondi: olha, estamos no Ceará, normalmente os alunos vão de bermuda ou calça e uma camisa (Uma solução. Uma solução USUAL).

Ok, vamos pensar. Bermuda ou calça + camisa. É a melhor solução? Bem, talvez sim, talvez não, mas de qualquer forma, é uma ótima solução, afinal, a grande maioria vai vestido assim, não é mesmo? Então voltando às perguntas:

1) Padrões de Projetos são boas ou até ótimas soluções para determinado software orientado à objeto a ser desenvolvido. Complementando um pouco mais com o Wikipédia: “os padrões de projeto visam facilitar a reutilização de soluções de desenho – isto é, soluções na fase de projeto do software, sem considerar reutilização de código. Também acarretam um vocabulário comum de desenho, facilitando comunicação, documentação e aprendizado dos sistemas de software.”

Antes de continuar com o restante das respostas das perguntas, devo lhes confessar que há 2 tipos de PP: Padrões GoF (Trataremos um exemplo aqui) e Padrões GRASP (General Responsibility Assignment Software Patterns). GoF é um acrônimo de Gang of Four, formado por Erich Gamma, Richard Helm, Ralph Johnson e John Vlissides. Vale lembrar o que GoF pode ser subdivido em três tipos de padrões:

  • Padrões de criação;
  • Padrões estruturais;
  • Padrões comportamentais.

Quem tiver realmente interessado no assunto, que vale a pena aprender, há diversos livros para download e para vender também.

2) Para que servem os Padrões de Projeto? Alguns exemplos já foram citados, tais como: criar um vocabulário comum entre desenvolvedores de software; são, geralmente, ótimas soluções; além disso, os padrões nos dão generabilidade, uma maior abstração, e os padrões têm sempre um contexto, um problema e uma (ou mais) soluções.

3) E qual o melhor Padrão de Projeto? Cada caso é um caso, já diz o ditado. Vai depender de que tipo de software você está desenvolvendo. Alguns aspectos a serem observados para lhe auxiliar na escolha do seu PP:

  • Conheça bem os Padrões de Projeto;
  • Considere como os padrões de projeto solucionam problemas de projeto;
  • Examine as seções de descrição do problema de cada padrão;
  • Estude como os padrões se interrelacionam;
  • Estude padrões de finalidades semelhantes;
  • Examine uma causa de reformulação de projeto;
  • Olhe exemplos dos padrões;
  • Considere o que deveria ser variável no seu projeto.

Para finalizar, eu gostaria de mostrar um exemplo de uma classe do Singleton, que é um Padrão de Criação do GoF, que garante a existência de apenas uma instância da classe. Você pode usar quando você necessitar de somente uma instância da classe, por exemplo, uma conexão com banco de dados. Suponha que você terá que chamar diversas vezes a conexão com o banco de dados em um código na mesma execução. Se você instanciar toda vez a classe de banco, haverá grande perda de desempenho. O singleton irá garantir para você que há apenas uma instância daquela classe. Enfim, vamos partir para o nosso exemplo da nossa classe em Java:

public class MySingleton {
/* Instancia privada que será acessada */
private static MySingleton myInstance;
/* Construtor privado. Suprime o construtor público padrao. */
private MySingleton() {
/* Operações de inicialização da classe */
}
/* Método público de acesso único ao objeto! */
public static MySingleton getInstance(){
if(myInstance == null) {
myInstance = new MySingleton();
}
return myInstance;
}
}

É isso. Quem tiver dúvidas, críticas, sugestões, por favor, comentem!
Abraços e até a próxima!

Seriados sobre Nerds

dezembro 27, 2010 2 comentários

Olá!

Quem gosta de seriados de nerds e nunca ouviu falar de The Big Bang Theory?

Eu particularmente sou fã (“BAZZINGA”). Apesar do nerdismo de The Big Bang Theory, ele não é um seriado voltado para a comunidade da computação.
Felizmente, fiquei sabendo da existência recentemente (apesar da 1a temporada do seriado ter sido lançada em 2006 na Inglaterra) de um seriado muito engraçado sobre nerds. Chama-se IT Crowd. Sim, um seriado voltado para a área de Computação. Já assisti o primeiro episódio e tenho que confessar: é muito engraçado. O vídeo abaixo contém a abertura e uma das primeiras cenas. Não é à toa que o seriado já venceu os prêmios BAFTA e Emmy Internacional de melhor sitcom.
Quem tiver interesse e quiser baixar o seriado, poderá encontrá-los para download no:
Abraços,
Categorias:Geral Tags: